quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Será que fui eu?!

Um dia duvidei...
e essa duvida, permaneceu sempre em mim. Embora umas vezes escondida, outras adormecida, por vezes até esquecida, outras lembrada e viva no meu pensamento.
Ainda hoje me pergunto porquê?!
Porque não funcionou, porque fugiste! ... porque é que eu fugi e não lutei?!
Pensei, aliás, quis pensar, que o que o teu sentimento era frágil e não aguentaste os medos e as tempestades.
Hoje, carregando o peso dos anos, chego à conclusão que possivelmente fui eu que não lutei o suficiente... foi mais fácil culpar-te, e, mesmo replecta de dor – partir... Fugir!
Agarrei-me ao primeiro carinho que apareceu.
Não me arrependo de o ter feito... aliás, fiz bem em faze-lo!
Mas há dias em que penso como seria se não tivesse fugido.
Como seria se tivesse lutado...
Saudades?! Sim tenho!
Mas tenho saudades do quê?! Do que tinha?! Do que poderia ter tido?! Do que nunca tive, mas gostava de ter?!
Busco-te em cada carro que passa...
Busco-te em cada sitio que vou...
... em cada cara que vejo.
Depois imagino... deves estar bem!
Deves ser feliz!
Eu também o sou!...
... então porque te busco?!
e depressa fujo desse pensamento que me assola
e continuo vivendo esta minha vida que mais uma vez digo:
Sou feliz! 

Autor: As Palavras não têm Sono
reservado direitos de autor

Sem comentários: