segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Deixa-me ir...

Foto retirada do site Tumblr
Minha participação da 25ª edição do Palavras Mil


Sabia que tinhas regressado de férias e embora a medo, pedi que viesses ter comigo ao Jardim, tinha algo muito importante para te dizer e não podia adiar mais...Ainda era de madrugada, recordo-me de não ter conseguido dormir um segundo em toda a noite. Sentia-me cansada, extenuada, receosa, mas ao mesmo tempo, ansiosa para tirar este peso que não me deixava caminhar.
Chegas-te! E que bonito chegar foi esse... grande, poderoso... estavas mais velho, mais maduro. Tolices! como era possível se só não te via há um mês?! Mas estavas... pelo menos aos meus olhos estavas isso tudo.
Deste-me dois beijos e afagaste-me o cabelo.
      - Olá! A que se deve tamanho desespero?! Ainda é de noite... - disseste.
      - Desculpa... já não aguentava mais! Estás diferente! - balbociei em tom de desculpa pelo cedo da hora.
Olhaste-me desconfiado.
       - Não estou nada, deve ser por ainda ser tão cedo. Estou meio a dormir. - justificaste - Mas a que se deve tanta aflição miúda?! - perguntaste
Pensei, realmente... são 6 horas da manhã, podias ter esperado mais um bocadinho.
        - Desculpa mais uma vez ser tão cedo, mas não consegui dormir em toda a noite e quando te liguei, nem olhei para o relógio... a Pati deve ter ficado chateada, por teres saído a esta hora... desculpa! - implorei eu.
        - Não faz mal, a Pati... - dizia ele.
Mas eu interrompi-o sem o deixar acabar. Tinha que lhe dizer tudo o que tinha pensado, tal e qual como ensaiei um cem número de vezes na minha cabeça... tinha de ser, se não, tudo ficava por dizer.
        -  Tive tantas saudades tuas! De certeza que as tuas férias foram fantásticas... deves ter-te divertido imenso... - de repente, todo o meu discurso ensaiado apagou-se da minha mente, calei-me. Não conseguia dizer nada...
Fez-se um silêncio em nós dois... apenas se ouvia a água a correr na fonte, que fazia de fundo a esta pintura de nós dois.
        - Não me digas que me chamaste só para falares das minhas férias - disseste com ar meio zangado e observador.
       - Não - disse eu aflita - Eu tinha um discurso na minha cabeça, arrumadinho, bem estruturado... Mas não consigo, não sai! Desculpa... acho que é melhor ires-te embora, falamos noutra altura. Vai dormir.
Eras um amigo daqueles que já perdemos o dia e a história. Daqueles que nunca nos deixam, nem nos apagam. Mas depois desta cena fiquei com a sensação que te tinhas zangado a sério.
       - Então vou mesmo, estou cheio de sono!
Viraste-me as costas e começaste a fazer o caminho que te tinha trazido. Ao ver-te afastar, ganhei coragem e gritei-te:
       - Não consigo mais ser tua amiga!
Paraste! Naquele mesmo instante uma brisa gelada fez bailar os meus cabelos e também todo o meu ser.
Não te viraste como esperei. Apenas paraste e seguiste.
Uma tristeza tamanha apoderou-se de mim. Virei-me, e caminhei em sentido contrário ao teu.
Os meus olhos... os meus olhos mais pareciam a fonte que foi testemunha deste adeus, deste até já, deste não sei!
Esta fonte onde parei e me prostrei sobre o meu regaço para chorar a minha falta de coragem.
Cobarde é o que tu és, pensei para comigo mesma. Estragaste assim uma amizade de tantos anos.
Enquanto na minha cabeça rodopiavam estes pensamentos, senti uma mão que me afagava as costas.
Vi tenuemente a tua imagem, pois as lágrimas eram tantas que parecias uma fotografia desfocada... mas eras tu!
       - Desculpa - pedi eu, enquanto tentava limpar as lágrimas que teimavam em encher-me os olhos.
       - Para de chorar... acalma-te e diz-me porque é que não podes continuar a ser minha amiga... não percebo! - disse ele
       - Porque te tenho mentido este tempo todo... porque cada vez que ficava alegre pelas tuas alegrias, te mentia e fingia. Cada história, cada momento da tua vida era uma inveja constante... cada briga que tinhas com a Pati... eu queria que fosse comigo... cada beijo que lhe davas, eu queria que me o desses a mim... mentia... ficava contente por ti,dava-te conselhos... mas mentia-me a mim... E eu não quero mentir mais vez nenhuma. Nem a ti nem a mim mesma. Por isso... o melhor é deixarmos de ser amigos... porque eu sofro a cada dia... desculpa se te desiludi como amiga... mas eu não consigo sofrer mais... - dito tudo isto, inclinei a cabeça.
Fez-se um silêncio profundo. E mais uma vez só se ouvia a água a correr na fonte!
Pareceu-me que começara a chover... senti salpicos de chuva em cima de mim. Eras tua com as duas mãos cheias de água a molhares-me... sorriste para mim. Agarraste-me a o colo e entraste dentro da fonte. A água estava gelada, mas ainda assim deixei-me levar por ti... só sentia os salpicos que a água provocava quando caia ... parecia que chovia em cima de nós dois... Colocaste-me no chão e acariciando-me o rosto disseste:
      - Há tantos meses que esperava por isto. Desejei tanto que me dissesses isso... - beijaste-me
E eu deixei-me levar nesse beijo, que tantas vezes sonhei...
Perguntei-te pela Pati, e tu calaste-me com outro beijo... afagaste-me o cabelo e sussurraste-me ao ouvido:
      - Deixei-a há um mês...era de ti... que eu gostava!

Autor: As Palavras não têm Sono
reservado direitos de autor

11 comentários:

Sutra disse...

Mesmo muito bom... Adorei! :)

beijo SeCreto
Sutra

Katia disse...

desculpa a intromissão mas, depois do que li adorei... muito muito bem escrito msm
bjs*

αnninhα ... disse...

lindo texto !
volta ? s2

te sigo , faz o mesmo ?

Chica disse...

Muito linda tua participação.Gostei!um beijo,tudo de bom,chica

Mary Jo disse...

Acontece muitas vezes entre amigos!
Está emocionante.

bj

Mary Jo disse...

Acontece muitas vezes entre amigos!
Está emocionante.

bj

meldevespas disse...

ohh tão bonito!
A minha estória aconteceu de uma forma semelhante ;DDD
Beijinho

Sandra disse...

Muito bom o texto. Deixa me ir. as vezes querermos ficar bem pertinho do amor.
A chuva cai lentamente sobre nós e calor do corpo nos aquece.
Também estou participando.
http://sandrarandrade7.blogspot.com/2010/08/coletiva-palavras-mil-adoraveltarde-de.html
Carinhosamente,
sandra

Irene Moreira disse...

Linda participação e vi o amor!!! Adorei a história.
Boa sorte!
Beijos

Irene Moreira disse...

Voltei para te dar os Parabéns. Estar no pódio foi muito merecido.

Beijos e boa semana

Algures no Oeste disse...

:S Estou a sentir-me "desactualizada" porque não conhecia mesmo este teu blog que é óptimo, escreves muito bem. Mas por onde é que andaste este tempo todo, eh!eh!
Estavas contida, só pode!
Beijinhos e gostei que tivesses voltado com tanta força ;)